Travel News

Hotelaria apresenta adaptações ao setor corporativo

À medida em que a poeira do impacto da pandemia de covid-19 assenta, uma nova era se descortina para a hotelaria, especialmente no que diz respeito aos eventos corporativos, congressos e viagens de incentivo (MICE). A necessidade de se adaptar a uma realidade pós-pandêmica trouxe desafios significativos, mas também oportunidades inexploradas para reinvenção e inovação.

Divulgação/Malai Manso

Ricardo Gouveia, diretor de Vendas do Malai Manso, observa que “até meados de 2022, ainda era visível a preocupação das empresas em relação às regras pré-estabelecidas devido à covid-19. O tempo passou, os eventos retornaram à normalidade, mas a preferência agora é por confraternizações ao ar livre, mais integradas à natureza, como praias, campos ou ao redor das piscinas.”

Debora Spada, MICE Executive do Palladium Hotel Group, por sua vez destacou a adaptação tecnológica e medidas de segurança pós-pandemia: “Apresentação de itens de A&B com porções individuais, protocolos de segurança padronizados, cuidados mais minuciosos com higiene, começamos a trabalhar sem materiais impressos, aproveitamos a tecnologia para uso de apps.”

Reprodução/Linkedin

Debora Spada, MICE Executive do Palladium Hotel Group

Debora Spada, MICE Executive do Palladium Hotel Group

Carla Cecchele, diretora de Vendas da RCD Hotels no Brasil, ressalta a mudança de foco no ambiente corporativo: “A motivação dos colaboradores internos e o relacionamento tornaram-se pontos importantes no mundo corporativo novamente. Além das reuniões, um dia de lazer tornou-se obrigatório nas convenções. A importância das reuniões vem também motivada pela integração da equipe nos momentos de descontração. As ações como ‘team building’ voltaram com bastante intensidade.”

PANROTAS / Emerson Souza

Carla Cecchele, diretora de Vendas da RCD Hotels no Brasil

Carla Cecchele, diretora de Vendas da RCD Hotels no Brasil

Viviane Amadei, head of Corporate Sales da BWH Hotels no Brasil, projeta um cenário pós-pandêmico em que “o uso da tecnologia vem acelerando e trazendo novas soluções para eventos, como aplicativos e plataformas on-line. Flexibilidade nas políticas de cancelamento, oferecer experiência e bem-estar nos eventos e, quanto à gastronomia, opções de alimentação personalizadas e temáticas são essenciais.”

PANROTAS/Emerson Souza

Viviane Amadei, head of Corporate Sales da BWH Hotels no Brasil

Viviane Amadei, head of Corporate Sales da BWH Hotels no Brasil

Neste novo capítulo da hotelaria pós-pandêmica, a flexibilidade, a atenção à gastronomia, a ênfase nas experiências e a garantia de segurança e confiança tornaram-se imperativos. À medida em que os eventos corporativos se reinventam, os hotéis têm de estar prontos para oferecer não apenas espaços, mas experiências memoráveis, refletindo a resiliência e a capacidade de inovação de um setor fundamental para os negócios globais.

Flexibilidade: Espaços versáteis e experiências ao ar livre

Diante da busca por uma retomada segura, a hotelaria teve que repensar a forma como os eventos corporativos são realizados. A experiência do cliente, por exemplo, tornou-se um ponto crucial na realização de eventos. Cesar Nunes, VP de Vendas e Marketing Atrio Hotel Management, destaca a importância de oferecer não apenas salas de eventos, mas uma experiência completa. “Isso envolve não apenas o momento do evento, mas também a conexão com o entorno e a comunidade”, afirmou.

A adaptação cuidadosa dos hotéis para oferecer espaços versáteis também foi defendida por Gabriella Spinola, head de Vendas Accor Américas. O Grand Mercure SP Itaim Bibi, por exemplo, repensou o Jardim das Luzes para proporcionar versatilidade em eventos. “Essa flexibilidade é essencial para acomodar as novas necessidades dos eventos corporativos”, explica.

PANROTAS / Filip Calixto

Gabriella Spinola, da Accor

Gabriella Spinola, da Accor

Debora Spada amplia essa visão, observando que além das estruturas convencionais, seus hotéis oferecem espaços ao ar livre, proporcionando uma flexibilidade única aos clientes mais exigentes. “Os eventos em destinos acabam sendo com mais dias, e os participantes conseguem aproveitar um pouco do que podemos oferecer no all-inclusive. Nossa estrutura se adapta a convenções ou viagens de incentivo, que também vimos crescer muito nos últimos anos.”

Carlos Nascimento, diretor de Vendas dos Hotéis Luzeiros, foi outro executivo a destacar a valorização de ambientes ao ar livre. “Ambientes externos com vista mar ou muito espaço livre são cada vez mais valorizados e em nossos ambientes os clientes ficam mais relaxados e com uma sensação de bem-estar.”

Alinhada à oferta de espaços ao ar livre, a oferta de experiências também ganhou destaque nas respostas. Ricardo Gouveia enfatizou a oferta de atividades no resort como passeios de balão, luau na praia e festas temáticas ao ar livre como uma estratégia eficaz. “Experiência é a palavra que todos os organizadores de eventos comentam. ‘Que experiência podemos levar aos nossos convidados?'”, completou.

Gastronomia e sustentabilidade: novas prioridades nos serviços

O foco em gastronomia e práticas sustentáveis emergiu como uma resposta à evolução das expectativas dos clientes corporativos. Gabriella Spinola destaca a mudança de paradigma na atenção aos detalhes: “De forma geral, a atenção está voltada para gastronomia, experiência e ESG.” “Novos cardápios com opções de pratos plant-based já estão sendo implementados em nossos hotéis, como por exemplo uma cafeteria com menu 100% de origem vegetal no Pullman Ibirapuera. Enquanto o ESG não é somente um tema discutido, o cliente quer vê-lo na prática, por isso muitas unidades vêm investindo em compostagem e separação de resíduos, destinação correta dos materiais recicláveis, reuso de água e outros materiais, e eliminação de plástico de única utilização”, explicou Gabriella.

A gastronomia, em particular, tem sido um ponto crucial de diferenciação. Carlos Nascimento observa que “os clientes buscam cada vez mais opções gastronômicas variadas e de qualidade que atendam às suas preferências alimentares.” Essa tendência é reforçada por Ruy Ribeiro, diretor comercial da Costa Cruzeiros, que destaca a demanda por “serviços de alimentação e bebidas personalizados, com os melhores sabores da Itália como a muçarela de búfala feita 100% a bordo e o tradicional Aperol Spritz”.

Divulgação

Ruy Ribeiro, da Costa Cruzeiros

Ruy Ribeiro, da Costa Cruzeiros

Assim como a Costa Cruzeiros e a Itália, Luciana Lentini, diretora comercial do WTC Events Center, enfatizou o uso da gastronomia para agregar à narrativa do evento em questão. “No caso da gastronomia, os clientes buscam por sabores que contem sua história no paladar, pois desta maneira, proporciona uma experiência completa”, disse.

Antonio Dias, diretor executivo do Grupo Royal Palm Hotels & Resorts, também destacou a importância da diversidade de serviço gastronômico: “Oferecemos coffee-breaks, almoços e jantares executivos ou tradicionais, jantares temáticos, coquetéis simples e coquetéis mais elaborados que substituem jantares com serviço volante de pratos quentes, working-lunch para rápidas refeições durante reuniões e pequenos eventos, festas com open bar e muitos outros formatos gastronômicos.”

Localização estratégica: viabilizando o evento

Outra questão importante para os contratantes de MICE em hotéis é a localização dos empreendimentos, que não apenas simplifica a chegada dos participantes, mas também contribui para a eficiência logística, tornando a escolha do local um ponto de partida crucial para o sucesso de qualquer evento.

Cesar Nunes, da Atrio, destaca a importância da localização como um dos principais atrativos para eventos. “A localização é um diferencial nosso. Nossos empreendimentos são bem localizados, geralmente em regiões centrais, o que permite conexão com a cidade para o pós-evento.”

Ricardo Aly, diretor de Vendas, Marketing e Distribuição da Nacional Inn Hotéis, reforça esse aspecto, enfatizando que os hotéis e resorts da Nacional Inn estão estrategicamente situados perto de grandes aeroportos, “facilitando a logística e viabilizando o custo do deslocamento”

Segurança e confiança: fundamentais para contratantes

A segurança e a confiança tornaram-se pilares fundamentais nos critérios de escolha de um local para eventos corporativos. Cesar Nunes enfatiza a amplitude da segurança: “Segurança no sentido amplo da palavra: com a localização, alimentação, infraestrutura, entrega do que foi contratado, qualidade do serviço, horário correto para refeições e demais serviços.”

Divulgação

Cesar Nunes, da Atrio

Cesar Nunes, da Atrio

Da mesma forma, a confiança foi apontada como um fator crítico por Antonio Dias. “O contratante quer sempre a certeza que o evento será realizado sem surpresas em qualquer que seja a demanda. A expectativa deve ser alcançada sempre e claro, superada sempre que possível. Mas, além disso, e ainda mais importante é, se houver um problema, um desafio, o centro de convenções precisa estar apto a resolver rapidamente, com equipe preparada para diferentes contingências.”

Carla Cecchele, da RCD Hotels, adiciona à conversa sobre confiança, salientando que “suporte comercial e um gerente para atendimento no hotel fazem muita diferença em um resultado personalizado de excelência com um custo benefício adequado à demanda.”

Inovação tecnológica e treinamento: preparando-se para o futuro

A adaptação a essa nova realidade pós-pandemia também exigiu investimentos em tecnologia e treinamento. Carlos Nascimento, dos Hotéis Luzeiros, destaca: “Diante da nova realidade, investimos em mais treinamentos para nossa equipe de atendimento e realizamos o retrofit em nossos salões de eventos com mais tecnologia em equipamentos, ampliando a qualidade dos nossos serviços.”

Debora Spada, do Palladium Hotel Group, ressaltou a importância de utilizar a tecnologia de maneira inteligente, substituindo ao máximo o uso de papel, também alinhando a questão com a crescente demanda por sustentabilidade.

Viviane Amadei, da BWH Hotels, enfatiza que após a pandemia, o uso da tecnologia acelerou, trazendo soluções inovadoras para eventos, como aplicativos móveis e plataformas on-line. “É essencial ter espaços e capacidade de eventos que possam oferecer opções, acesso à internet de alta velocidade e suporte técnico para garantir que as necessidades tecnológicas do evento sejam atendidas, serviços de catering que possam atender às preferências alimentares e restrições dos participantes, e hospedagem com tarifas especiais. Material sustentável, por exemplo, e a redução do uso de materiais descartáveis, também são essenciais”, concluiu Viviane.

A tecnologia também vem sendo prioridade quando se trata de novas parcerias, aponta Luciana Lentini, do WTC Events Center, em São Paulo. “Investimos em parcerias que transformam o nosso espaço e trouxessem a tecnologia como foco principal, desta maneira irá agregar valor aos nossos espaços e possibilitar negociações mais interessantes aos nossos clientes”, explicou.

Em alto mar: para além dos hotéis

Companhias de cruzeiros também vêm despontando na atração de eventos corporativos e reuniões. Realizar eventos em cruzeiros representa uma abordagem única e inovadora, destaca Ruy Ribeiro, da Costa Cruzeiros: “Oferecemos uma experiência única a qual somente um transatlântico pode oferecer. Nos cruzeiros, a relação custo-benefício para a realização de um evento é principal. A bordo dos nossos navios, o organizador do evento não precisa se preocupar com o custo da locação de espaços ou equipamentos audiovisuais ou em contratar fornecedores externos porque nós já oferecemos tudo. Nossos navios reúnem uma estrutura de última geração com salas e ambientes com sonorização completa, projetores, telas, microfone e suporte técnico sem qualquer custo adicional para eventos que podem acomodar mais de mil pessoas simultaneamente”, afirmou Ruy Ribeiro.

O executivo também destacou “a comodidade das cabines, a praticidade das salas de reuniões e os espaços para networking, seja para encontros informais ou atividades de construção de relacionamento, podendo incluir áreas de lounge, terraços ao ar livre e locais para coquetéis”. Também estão na lista da Costa Cruzeiros atividades de lazer e entretenimento a bordo e excursões com assistência, incluindo transporte de/para o aeroporto.

Esta matéria é parte integrante do Anuário PANROTAS de Eventos e Viagens Corporativas lançado essa semana e distribuído no Lacte 19.

About author

Articles

Hudson, the travel scribe, paints the world with his words. His tales are a passport to unseen places, his passion, the compass guiding his journeys. From the rhythm of city life to the tranquility of nature, he weaves narratives that are not just travelogues, but love letters to exploration and storytelling.
Related posts
Travel News

American Revolution began 249 years ago: Here are 5 overlooked tourist spots about fight for independence

The grand events and oft-told tales of the American Revolution are easy to find among sprawling…
Read more
Travel News

Fazenda deve aceitar custo de R$ 15 bi para PERSE

Divulgação Fernando Haddad, ministro da Fazenda O Ministério da Fazenda sinalizou que está…
Read more
Travel News

Greece sightseeing travel guide: ancient ruins, rugged mountains, and Mediterranean waters

Greece has long been a wildly popular tourist destination for Americans and Europeans alike. Here…
Read more
Newsletter
Become a Trendsetter
Sign up for Davenport’s Daily Digest and get the best of Davenport, tailored for you. [mc4wp_form id="729"]

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *